Graduação de Raridade das Cédulas

(BENTES - Livro Completo do Papel Moeda do Brasil - Rodrigo Maldonado / Fernando Antunes)

 

A procura por uma cédula pode aumentar significantemente seu valor. Uma cédula comum que é altamente estimada por colecionadores terá, sem dúvida, um valor maior que aquelas pouco procuradas. As cédulas raras terão maior demanda que as antigas mais comuns. Por exemplo, algumas cédulas bem antigas, apesar de sua idade, podem ser relativamente baratas em razão de sua abundância. Note também que o número de cédulas produzidas não é indicativo da disponibilidade da mesma.

Devido às diversas vicissitudes(1) históricas (dispersão, retirada de circulação, etc.), pode acontecer que determinadas cédulas impressas em número elevado, com o tempo, venham a ser consideradas mais raras do que outras impressas em quantidades consideravelmente menores. Assim, o grau de raridade se refere à dificuldade em se encontrar determinada cédula, pelos diversos motivos citados.

No Catálogo Bentes, por exemplo, é graduada a raridade em conformidade com o descrito acima, indo desde as cédulas muito comuns (CC ou C.2), até a peça única, passando-se pela classificação R.5 (RRRRR) que corresponde ao exemplar da mais alta raridade.

As avaliações contidas no Catálogo Bentes refletem a tendência do mercado até o final do segundo trimestre do ano precedente àquele a que faz referimento o manual. Sendo assim, por exemplo, os preços constantes do catálogo de 2016, fazem referência aos preços praticados até o final do segundo trimestre de 2015, época em que são terminados os trabalhos de revisão e estampa.

O mercado numismático, assim como o das artes em geral, é influenciado por diversas variáveis, sendo a mais notável a lei da oferta e da procura. Assim, nada mais honesto e justo que dar ao leitor a cotação da época, baseando a avaliação na tendência do mercado, é a nossa (Bentes) filosofia. Essa "necessidade" de se alterar os preços de todas as moedas não corresponde à realidade. Em alguns casos, um exemplar pode permanecer inalterado ou mesmo sofrer um decréscimo de um ano para outro.

Consideramos (Bentes) um erro classificar a raridade em função do número de exemplares conhecidos. É assunto extremamente relevante e deve ser tratado com seriedade. O Catálogo Bentes estabelece um critério próprio, a fim de "se dar ao luxo" de conceder a uma cédula, o "título" de "da mais alta raridade".

 
CLASSIFICAÇÃO DOS GRAUS DE RARIDADE DE UMA CÉDULA
 
CÓDIGO GRAU DE RARIDADE DESCRIÇÃO
C.2 ou CC Muito comun  Frequentemente disponível no mercado
C.1 ou C Comun  Facilmente encontrada no mercado
E.1 ou E Escassa  Exemplar encontrado com relativa escassez
R.1 ou R Rara  Exemplar encontrado com dificuldade no mercado
R.2 ou RR Muito rara  Difícil de ser encontrada no mercado,em curto período de tempo
R.3 ou RRR Raríssima  Aparece com grande dificuldade no mercado
R.4 ou RRRR Extremamente rara  De grandíssima raridade, aparecendo poucas vezes no mercado, num período não inferior a 50 anos
R.5 ou RRRRR De mais alta raridade  Quatro, no máximo cinco exemplares, de melhor conjunto (data, tiragem, estado de conservação, etc). Praticamente inexistente no mercado
ÚNICA Única  Termo que jamais pode ser abreviado. Indica o exemplar do qual não se conhece outro
Fonte: Numismática Bentes

 

 

(1) VicissitudeMudança ou diversidade de coisas que se sucedem; alteração.